Elias Jabbour: nova globalização é comandada pela China e o Brasil deve melhorar a relação com os chineses

"Nossa reindustrialização passa pela China", diz o sociólogo

www.brasil247.com - Elias Jabbour, Lula e Xi Jinping
Elias Jabbour, Lula e Xi Jinping (Foto: Reprodução/Youtube | Ricardo Stuckert | Reuters)


247 – O sociólogo e escritor Elias Jabbour, um dos maiores especialistas do País no processo de ascensão econômica da China, afirmou, em entrevista ao jornalista Leonardo Attuch, editor da TV 247, que a nova globalização é comandada pela China e que o Brasil deve se aproximar do gigante asiático para retomar seu processo de industrialização. "Não existe desglobalização, mas uma nova forma de globalização comandada pela China", diz ele. "A China vai superar os Estados Unidos entre 2030 e 2035, em PIB absoluto", acrescenta.

Jabbour afirma que o ex-presidente Lula, caso eleito, deverá colocar as relações sino-brasileiras em primeiríssimo plano. "Lula deve colocar os interesses estratégicos do Brasil em primeiro lugar. O Brasil deve trocar petróleo por infraestrutura. Um veio da nossa reindustrialização passa pela China. É preciso criar um marco institucional para recuperar empresas destruídas pela Lava Jato", afirma. "A relação com a China tem que estar nas mãos de uma comissão especial", reforça.

Na entrevista, ele também falou sobre a questão de Taiwan e sobre o conflito na Ucrânia. "O primeiro objetivo dos Estados Unidos é cancelar a Rússia do sistema financeiro, mas o objetivo final é minar a China", disse ele. Jabbour também afirmou que nesta nova globalização a China exporta forças produtivas, e não meramente capitais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email