Em 2020, Ford de Taubaté suspendeu salários prometendo manter empregos

Acordo firmado com o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté durante a pandemia previa a garantia dos empregos até 31 de dezembro de 2021; montadora anunciou na segunda-feira que irá fechar fábricas no Brasil

(Foto: Sindmetau)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Em razão da pandemia do novo coronavírus, a montadora estadunisense Ford e o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) firmaram um acordo coletivo abril de 2020 que tinha como objetivo garantir a manutenção dos empregos durante o período da crise sanitária. Na ocasião, o Sindmetau conseguiu um acordo melhor que a Medida Provisória 936, do governo Bolsonaro.

Com a saída da Ford do Brasil, anunciada na segunda-feira (12), cerca de 850 pessoas devem perder o emprego na fábrica de Taubaté,.

“A intenção inicial da Ford era implementar a Medida Provisória 936. Mas isso teria um impacto significativo na renda dos trabalhadores. Nós buscamos algo que pudesse trazer uma condição mais favorável para o trabalhador, garantindo 90% do salário líquido”, disse o coordenador do Comitê Sindical de Empresa (CSE) na Ford, Sinvaldo Cruz, em abril.

Leia mais na Fórum.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247