Emprego começa a cair na indústria

O emprego na indústria brasileira recuou 0,5% em maio deste ano, em relação ao mês anterior. É a primeira queda do indicador, que havia apresentado estabilidade nos dois primeiros meses do ano, com leve alta de 0,2% em março e estabilidade em abril

Emprego começa a cair na indústria
Emprego começa a cair na indústria

Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - O emprego na indústria brasileira recuou 0,5% em maio deste ano, em relação ao mês anterior. É a primeira queda do indicador, que havia apresentado estabilidade nos dois primeiros meses do ano, com leve alta de 0,2% em março e estabilidade em abril. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), divulgada hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com maio de 2012, a queda foi ainda maior (-0,7%). No acumulado do ano, o recuo  chega a 0,8%. Nos últimos 12 meses, o emprego industrial tem uma queda acumulada de 1,3%.

Entre os 18 setores industriais pesquisados, nove tiveram queda no pessoal ocupado, na comparação de maio deste ano com o mesmo período do ano passado. As principais atividades responsáveis pelas quedas foram a de calçados e couro (-6,5%), a de máquinas e equipamentos (-3,3%), outros produtos da indústria de transformação (-4,4%), a de máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-3,5%) e a de vestuário (-2,5%).

Setores como alimentos e bebidas, com aumento de 2,4% no emprego, e borracha e plástico, com alta de 2,7%, evitaram uma redução maior do indicador de maio de 2012 para maio deste ano.

As horas pagas também tiveram queda nos quatro tipos de comparação: -0,7% em relação a abril deste ano, -0,1% em relação a maio de 2012, -1% no acumulado do ano e -1,6% no acumulado dos 12 meses.

Por outro lado, no entanto, de acordo com a pesquisa do IBGE, houve aumentos da folha de pagamento real de 1,7% na comparação com abril deste ano, de 5,8% na comparação com maio de 2012, de 2,8% no acumulado do ano e de 3,9% no acumulado dos últimos 12 meses.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247