Energia: Dilma pede que "cada um cumpra seu papel"

Em reunião com representantes do Ministério de Minas e Energia nesta terça-feira, presidente foi atualizada quanto à capacidade do sistema elétrico de atender à demanda diante dos níveis baixos de reservatórios; secretário-executivo Márcio Zimmermann voltou a descartar a possibilidade de racionamento; "Temos geração suficiente para atender ao mercado, ao contrário do que tem saído", declarou; presidente se reúne nesta quarta com o setor elétrico

Energia: Dilma pede que "cada um cumpra seu papel"
Energia: Dilma pede que "cada um cumpra seu papel"
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Hugo Bachega

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff reuniu-se na terça-feira com representantes do Ministério de Minas e Energia para discutir a situação energética do país e o risco de racionamento de energia e pediu que "cada um cumpra seu papel", disse o secretário-executivo da pasta, Márcio Zimmermann, na noite da véspera.

O encontro foi um pedido do ministro Edison Lobão (Minas e Energia) em meio a incertezas quanto à capacidade do sistema elétrico de atender à demanda diante dos níveis baixos dos reservatórios das hidrelétricas, chuvas insuficientes para recompor os estoques e com o sistema de termelétricas --usado em momentos de estiagem-- praticamente todo acionado.

Dilma pediu que "cada um cumpra seu papel" na questão, disse Zimmermann a jornalistas após o encontro, que serviu para atualizar a presidente sobre a situação. A reunião ocorreu no final da tarde de terça-feira, no Palácio do Alvorada, no retorno de Dilma a Brasília após 12 dias de férias na Bahia, e na véspera de reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) para avaliar a situação energética do país.

O secretário-executivo voltou a descartar a possibilidade de racionamento e disse que o quadro atual está dentro do planejado.

"Temos geração suficiente para atender ao mercado, ao contrário do que tem saído. Tudo que está ocorrendo está dentro da situação para a qual esse sistema foi planejado. Você opera (usina) térmica quando tem que operar, mas de qualquer forma você está com um equilíbrio estrutural", disse ele.

Dilma já havia descartado em dezembro o risco de racionamento de energia, durante café da manhã com jornalistas em Brasília. "Acho ridículo dizer que o Brasil corre risco de racionamento de energia", disse ela na ocasião.

A presidente foi ministra de Minas e Energia no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e notabilizou-se por remodelar as regras do setor elétrico e garantir, nos últimos anos, a segurança do fornecimento de energia.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email