Enquanto brasileiros comem osso, Guedes diz que não revela seus lucros nas Ilhas Virgens Britânicas por “medo de ser assaltado”

À frente de uma gestão econômica ruinosa, com recorde de desemprego e miséria no Brasil, Paulo Guedes disse que não revela seus lucros na empresa em paraíso fiscal usado por contrabandistas e sonegadores por medo da violência urbana

Fila de ossos | Paulo Guedes
Fila de ossos | Paulo Guedes (Foto: GUSTAVO BEZERRA | Prefeitura Municipal de Bonito)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Enquanto brasileiros ficam na fila dos ossos nos açougues, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (23), durante audiência na Câmara dos Deputados, que não revela seus lucros de uma offshore nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal, por “medo de ser assaltado”.

“Você pode ser perseguido por um vizinho, assaltado por um vizinho. Não posso chegar aqui e falar: ‘Brasil, olha tudo que eu tenho. Não pode ser assim”, argumentou o ministro, na comissão especial marcada para que ele explicasse um possível conflito de interesses entre ocupar a posição de chefe da Economia no governo federal e ter uma empresa que lucra com a variação do dólar.

Ele destacou que esses recursos estão à disposição das instâncias pertinentes, por meio de declaração do Imposto de Renda. “Se parlamentares me pedirem, a resposta é não. Agora, se me disserem ‘uma instância pertinente pediu’, será entregue, como sempre foi. Os números estão todos disponíveis. Mas os senhores precisam entender que existe uma coisa chamada privacidade”, ressaltou ainda.

PUBLICIDADE

Durante seu depoimento, o ministro admitiu que usou a offshore para fugir da cobrança de impostos dos Estados Unidos.
Foi revelado ainda, durante a audiência, que Guedes possui um outro negócio além da offshore, este no Brasil, com rendimento de cerca de R$ 400 mil por mês. A revelação foi feita pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO).

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email