CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

Entidades do setor de petróleo e gás elogiam indicação de Jean Paul Prates à Petrobrás

O senador é conhecido no mercado e visto como "uma pessoa qualificada e conhecedora dos desafios do setor"

Lula e Jean Paul Prates (Foto: Ricardo Stucker)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Entidades do setor de petróleo e gás elogiaram a indicação do senador Jean Paul Prates (PT-RN) à presidência da Petrobrás, anunciada nesta sexta-feira (30) pelo presidente diplomado, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), informa a Folha de S. Paulo.

O senador é conhecido no mercado e visto como "uma pessoa qualificada e conhecedora dos desafios do setor", de acordo com o jornal.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Antes de tudo, Prates é um nome preparado. Ao longo de seu mandato como senador, Prates sempre teve posição de protagonismo em todas as discussões que envolveram o setor energético", declarou o presidente da Abegás (Associação Brasileira das Distribuidoras de Gás Canalizado), Augusto Salomon.

>> Novo presidente da Petrobrás, Prates quer levar empresa para além do pré-sal

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Já o IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás) destaca a "capacidade de diálogo" como uma das virtudes do futuro líder da estatal: "o indicado possui largo currículo acadêmico e experiência consolidada no setor, aliada à grande capacidade de diálogo amplamente demonstrada no exercício de seu recente mandato como senador".

Tais atributos citados destacam o prestígio que Prates tem no setor, mesmo adotando posições que, por vezes, podem desagradar o mercado financeiro. O senador, por exemplo, já afirmou que a política de preços de combustíveis do país mudará no governo Lula, defendendo rever a utilização do Preço de Paridade de Importação (PPI) como referência para os preços internos dos combustíveis. "Quando falar em extinguir ou parar de usar o PPI como referência, não é que vamos desgarrar o preço completamente do mercado internacional, o país não é louco, não vamos criar uma economia paralelamente no Brasil. Quer dizer que vamos parar de balizar o preço da porta da refinaria com o preço de um produto produzido em lugares completamente aleatórios, distantes, do mundo, mais frete e mais despesas de colocação", defende Prates.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Apesar de gerar um desconforto em relação ao mercado nesse sentido, o posicionamento de Prates também o aproxima de entidades de petroleiros, como a Federação Única dos Petroleiros (FUP), que foi outra a elogiar sua indicação à Petrobrás.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Carregando...

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO