Entidades lançam documento com propostas para o Brasil

O Clube de Engenharia e o Comitê Fluminense do Projeto Brasil Nação lançaram o documento síntese da iniciativa intitulado “Um Projeto para o Brasil”; Antonio José Catto, representante do Comitê Fluminense do Projeto Brasil Nação, também condenou autoritarismos na política, e afirmou ser necessária a defesa "das normativas das convenções internacionais das quais o Brasil é signatário"

Entidades lançam documento com propostas para o Brasil
Entidades lançam documento com propostas para o Brasil (Foto: FERNANDO ALVIM)

247 - O Clube de Engenharia e o Comitê Fluminense do Projeto Brasil Nação lançaram no Clube de Engenharia (RJ) o documento síntese da iniciativa intitulado “Um Projeto para o Brasil”.D De acordo com Sebastião Soares, primeiro vice-presidente do Clube de Engenharia e responsável por articular a redação final do documento, "na parte inicial temos propostas com uma perspectiva, de início, de reconstrução imediata do que o atual governo desmontou, utilizando disposições constitucionais, como referente e plebiscito, submetendo à soberania popular algumas decisões importantes".

"A segunda parte apresenta um conjunto de propostas para prosseguir construindo uma nação protagonista do século 21 no contexto mundial. Por fim, há propostas para o médio e longo prazos, mas igualmente indispensáveis", afirmou.

Segundo Antonio José Catto, representante do Comitê Fluminense do Projeto Brasil Nação, é preciso condenar os autoritarismos na política. "Convidamos a sociedade em geral e todas as suas instituições a defenderem como valor nacional as normativas das convenções internacionais das quais o Brasil é signatário. O não cumprimento dessas normativas gera a naturalização do desrespeito ao Estado de Direito que vivemos", afirmou.

Raymundo de Oliveira, ex-presidente do Clube e membro do Conselho Diretor da entidade, ressaltou que " homem é o animal que projeta. Mas o Brasil anda sem projeto. É regido pelos acontecimentos, ou melhor, pelos escândalos. Para onde queremos ir? Eu fui à China e fiquei impressionado, porque eles têm ideia do que farão daqui a 30 anos". "O projeto que tínhamos, em direção a um país soberano, com um povo de vida digna, está sendo empurrado para trás, em uma articulação de forças internas e internacionais", alertou.

Importância da Petrobras

Bielschowski ainda abordou a política de preços da Petrobras, citando a necessidade de se chegar a um valor básico para o barril de petróleo que ao mesmo tempo em que seja módico, cumprindo a função social da empresa, também permita que a Petrobras invista e que seja resiliente às flutuações no mercado internacional, além de tirar a necessidade de o Estado subsidiar o consumo, como foi a estratégia adotada pelo governo federal após a greve dos caminhoneiros deste ano. Agostinho Guerreiro, que também tratou do assunto, fez uma referência ao papel de Guilherme Estrella, ex-diretor da Petrobras, presente no plenário, por sua liderança na equipe que descobriu o Pré-Sal.

Propostas convergentes

Segundo o Pedro Celestino, presidente do Clube de Engenharia, "a sociedade civil é capaz sim de pensar e produzir, passando por cima de diferenças ideológicas, partidárias, de diferentes opiniões, e convergindo com o que é essencial: propostas de soberania, de desenvolvimento, que sejam levadas ao conhecimento da sociedade como contribuição nossa para elevar o debate". "Não se trata, simplesmente, de uma disputa eleitoral, mas de uma disputa entre civilização e barbárie, entre um Brasil para nós e para eles, os que historicamente se opõem ao desenvolvimento democrático, soberano e socialmente inclusivo do nosso país", acrescentou.

Clique aqui para ler na íntegra o documento “Um Projeto para o Brasil”.

Clique aqui para assistir ao evento de lançamento no canal do Youtube do Clube de Engenharia.

*Com informações do Clube de Engenharia

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247