Erro do governo deixa quase 1 milhão sem auxílio emergencial ou Bolsa Família

Uma falha técnica do governo federal deixou quase um milhão de brasileiros sem acesso ao auxílio emergencial e Bolsa Família em agosto deste ano, segundo o UOL

Cartão do Bolsa Família
Cartão do Bolsa Família (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Uma falha técnica do governo federal deixou quase um milhão de brasileiros sem acesso ao auxílio emergencial e Bolsa Família em agosto deste ano.

Segundo publicou neste sábado (12) o site UOL, o governo pediu a suspensão de pagamentos de ambos os benefícios após revisão dos cadastros, porém pelo menos o dinheiro do Bolsa Família deveria ter sido pago.

Conforme aponta o Ministério da Cidadania, a Controladoria-Geral da União (CGU) pediu a suspensão de um total de 923 mil benefícios no mês passado. Destes, 613 mil eram inscritos no Bolsa Família e deixaram de receber o auxílio emergencial, enquanto 310 mil tiveram o cadastro suspenso.

Diante do equívoco, o governo federal promete pagar o valor não depositado com o depósito de setembro para os que foram prejudicados.

Os pagamentos do Bolsa Família e do auxílio emergencial não são cumulativos, sendo que os cadastrados devem receber apenas o benefício mais vantajoso. Em média, o Bolsa Família paga R$ 190, enquanto o auxílio tem valor de R$ 600, ou R$ 1,2 mil em caso de mulheres chefes de família.

Apesar de que o auxílio emergencial pode ser suspenso em caso de pagamento indevido, o Bolsa Família está proibido de fazer o mesmo desde 20 março, tendo em vista o contexto da pandemia da Covid-19. Dessa forma, ao menos os valores do Bolsa Família devem ser pagos.

Com a suspensão dos pagamentos de agosto, ao menos R$ 550 milhões deixaram de ser gastos pelo governo. Segundo dados da Caixa Federal, 19,2 milhões de pessoas cadastradas no Bolsa Família recebem o auxílio emergencial. O Ministério da Cidadania afirma que os cadastros suspensos serão analisados novamente.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email