Estímulo ao crédito veio em momento adequado, diz Trabuco

Presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, afirmou nesta quinta-feira, 28, que o anúncio da injeção de R$ 83 bilhões em crédito na economia para tentar reativar a economia veio no momento adequado; "A oferta de crédito está em um nível adequado. Quando se oferta mais crédito a gente pode ter uma disputa até pelo preço e pela taxa de juros. Acho que é o momento adequado para isso", afirmou após o anúncio do ministro Nelson Barbosa na reunião do Conselhão

Brasil, São Paulo, SP. 04/03/2010. O então presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, na sede do banco na Cidade de Deus em Osasco. - Crédito: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO
Brasil, São Paulo, SP. 04/03/2010. O então presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, na sede do banco na Cidade de Deus em Osasco. - Crédito: CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, afirmou nesta quinta-feira que o anúncio do governo federal para colocação de 83 bilhões de reais em crédito na economia para tentar reativar a economia veio no momento adequado.

"A oferta de crédito está em um nível adequado. Quando se oferta mais crédito a gente pode ter uma disputa até pelo preço e pela taxa de juros. Acho que é o momento adequado para isso", afirmou Trabuco após o anúncio do governo.

O presidente do Bradesco afirmou ainda que "nós (Brasil) temos que parar de piorar", ao comentar as medidas de estímulo anunciadas pelo governo.

Lei reportagem anterior, da Agência Brasil, sobre o assunto:

O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, integrante do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, disse hoje (28) que os membros do colegiado podem apresentar ao governo sugestões para o país "sair do imobilismo".

Os conselheiros, segundo Trabuco, devem encontrar ideias "compatíveis que resultem em ações compartilhadas". No entanto, as ações para a recuperação da economia não podem repetir medidas anteriores, na avaliação do executivo.

Chamado de Conselhão, o colegiado atua no assessoramento da Presidência da República e é formado por ministros, empresários e representantes da sociedade civil.

"Acredito que muitas coisas boas estão aí para dar início a esta retomada. Por exemplo, a convicção de que a base constituída pelas metas de inflação, câmbio, responsabilidade fiscal, são os pilares necessários para gerar o crescimento posterior. Para a retomada do caminho futuro, é preciso acabar com a crença de que é possível de forma permanente dirigir um carro que avança na noite com os faróis voltados à ré. Precisamos avançar", cobrou.

Ao discursar na abertura da reunião do Conselhão, o presidente do Bradesco disse que todos perdem com a crise e que o Brasil poderá ser novamente um país vencedor. "Cada um de nos é protagonista do que o Brasil é hoje, no sentido de que todos têm parcela de responsabilidade. Todos somos perdedores, pois na recessão todo mundo perde", afirmou.

Depois de um ano e meio sem reuniões, o Conselhão foi retomado hoje. A intenção do governo é ouvir representantes da sociedade civil e do empresariado sobre medidas econômicas que pretende adotar nos próximos meses. Além do presidente do Bradesco, mais sete conselheiros e cinco ministros farão intervenções. A presidenta Dilma Rousseff vai discursar no fim da reunião.

"Provavelmente, cada um de nos tem uma pauta de como sair do imobilismo. Acredito que entre as pautas de cada um, certamente haverá pontos, detalhes, intenções que nos unem para a construção de uma pauta de convergência", destacou Trabuco.

Ao dar posse aos conselheiros, o chefe da Casa Civil, ministro Jaques Wagner, disse que as democracias mais maduras têm conselhos desse porte.

*Colaboraram Ana Cristina Campos e Sabrina Craide

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247