Europa cobra padrões seguros para importações após Carne Fraca

O setor agropecuário europeu está aproveitando a operação Carne Fraca para pressionar as negociações do acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul, que terão uma nova rodada de discussões a partir desta segunda-feira (20) até o próximo dia 24, em Buenos Aires, Argentin; uma das principais organizações de produtores europeus, a Copa- Cogea, afirmou, por meio de um comunicado, que possui "preocupações de segurança sanitária" em relação aos produtos brasileiros e que a Carne Fraca ressalta a necessidade da UE respeitar os padrões sanitários definidos pelo bloco econômico

Frigorifico, carne
Frigorifico, carne (Foto: Paulo Emílio)

247 - O setor agropecuário europeu está aproveitando a operação Carne Fraca para pressionar as negociações do acordo de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul, que terão uma nova rodada de discussões a partir desta segunda-feira (20) até o próximo dia 24, em Buenos Aires, Argentina.

Uma das principais organizações de produtores europeus, a Copa- Cogea, afirmou, por meio de um comunicado, que possui "preocupações de segurança sanitária" em relação aos produtos brasileiros. Segundo a organização, a Carne Fraca ressalta a necessidade da UE respeitar os padrões sanitários definidos pelo bloco econômico.

"Precisamos de acordos justos e equilibrados em qualquer negociação comercial", diz, o secretário-geral Copa-Cogea, Pekka Pesonen, no comunicado. "Temos alguns dos mais altos padrões de segurança alimentar e bem-estar animal no mundo, nos quais as importações para a UE devem se enquadrar, do contrário nossos padrões de segurança estarão comprometidos", destacou.

A organização observa que os países do Mercosul não seguem os padrões sanitários que a Europa, sendo necessário ampliar a fiscalização.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247