Família Gerdau deixa comando da empresa após escândalo da Zelotes

André Johannpeter, que está na presidência da Gerdau desde 2006, quando recebeu o cargo do pai, Jorge Gerdau, deixará o posto no fim do ano para compor conselho da companhia; no mesmo dia, MPF denunciou executivos ligados ao grupo por corrupção no Carf na operação Zelotes

gerdau
gerdau (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Alvo da Operação Zelotes – que investiga um dos maiores esquemas de sonegação fiscal do País –, a siderúrgica Gerdau anunciou nesta quinta-feira, 24, o afastamento da família do dia a dia da empresa, após cinco gerações no comando executivo do negócio. O anúncio foi feito no mesmo dia em que o Ministério Público Federal denunciou executivos e consultores da companhia por suspeita de fraude fiscal.

O atual presidente do grupo, André Gerdau Johannpeter, e os vice-presidentes executivos Claudio Johannpeter e Guilherme Gerdau Johannpeter deixarão seus cargos e passarão a atuar apenas no conselho administrativo a partir de janeiro. Para o lugar de André, foi escalado o atual diretor executivo da operação Brasil, Gustavo Werneck.

Para os investigadores, os atos praticados pelos envolvidos configuram os crimes de corrupção nas modalidades ativa e passiva Foto: Gerdau
Em teleconferência com investidores, André negou que as alterações tenham relação com a Zelotes e disse que o movimento faz parte de um processo iniciado há um ano.

O empresário afirmou ainda que os membros da família focarão na parte estratégica e nos planos de longo prazo. “A mudança será muito boa para a empresa. Os atuais integrantes da família passam a se dedicar ao Conselho da Gerdau e da Metalúrgica Gerdau. Essa é a quinta geração da família na administração executiva e foi cumprido um importante papel nesse ciclo”, afirmou.

As informações são de reportagem do Estado de S.Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247