CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

Fazenda reconhece defasagem no preço da gasolina

Mas, segundo o secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Antônio Henrique Silveira, não há decisão do governo sobre o reajuste. A defasagem, segundo ele, é de 7%

Fazenda reconhece defasagem no preço da gasolina
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

BRASÍLIA, 16 Jan (Reuters) - O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Antônio Henrique Silveira, afirmou nesta quarta-feira haver uma defasagem no preço da gasolina equivalente a 7 por cento, mas sustentou não haver decisão do governo sobre o reajuste.

Questionado se a mistura do etanol à gasolina, hoje em 20 por cento, poderia ser elevada para amenizar o efeito no preço praticado nas bombas, Silveira disse que "se ocorrer, será quando entrar safra", a partir de abril.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"É bom aguardar para ter mais segurança sobre o abastecimento", justificou o secretário.

Na terça-feira, o jornal "O Estado de São Paulo" publicou notícia informando que o governo deve elevar a gasolina em 7 por cento e o óleo diesel entre 4 e 5 por cento.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Silveira disse que "não há notícia de data" para o reajuste dos preços dos combustíveis, mas que a defasagem está na faixa da que foi informada pelo jornal.

Segundo ele, o impacto do aumento dos combustíveis na inflação "vai depender do ano e da intensidade".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Silveira falou a jornalistas antes de participar de seminário promovido pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

(Por Leonardo Goy)

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO