Fazenda reduz previsão de crescimento do PIB a 3,5%

Comandado por Guido Mantega, Ministério da Fazenda reduz de 4,5% para 3,5% a previsão oficial de crescimento da economia neste ano; estimativa consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014, enviada nesta segunda-feira pelo Executivo ao Congresso Nacional

Fazenda reduz previsão de crescimento do PIB a 3,5%
Fazenda reduz previsão de crescimento do PIB a 3,5% (Foto: Luciano Bergamaschi/Futura Press)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Wellton Máximo
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Ministério da Fazenda reduziu de 4,5% para 3,5% a previsão oficial de crescimento da economia neste ano. A estimativa consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014, enviada hoje (15) pelo Executivo ao Congresso Nacional.

Apesar de o projeto da LDO ser divulgado pelo Ministério do Planejamento, os parâmetros para a economia são elaborados pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda. A estimativa anterior, de 4,5% para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) em 2013, constava do Orçamento Geral da União deste ano, sancionado no início do mês pela presidenta Dilma Rousseff.

Em relação à inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o projeto prevê variação acumulada de 5,2% em 2013 e 4,5% em 2014. As previsões da Fazenda, no entanto, são mais otimistas que as do Banco Central. No Relatório de Inflação, divulgado no fim de março, a autoridade monetária prevê que a economia cresça 3,1% em 2013 e que a inflação feche o ano em 5,7%, e atingindo 5,3% em 2014.

Edição: Nádia Franco

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247