CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

FMI passa sermão nos Estados Unidos

Christine Lagarde vai aos EUA e desafia lideranas americanas a mostrar coragem poltica;falta menos de uma semana para o eventual calote

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – O impensável há até alguns anos aconteceu: o Fundo Monetário Internacional (FMI) deu uma bronca daquelas nos Estados Unidos. A diretora-geral do FMI, Christine Lagarde, foi ao país para dizer aos americanos que eles precisam chegar a uma solução sobre o aumento do teto da dívida do país, sob o risco de prejudicar o mundo todo. A diretora-geral desafiou os líderes americanos a mostrar a coragem política demonstrada pelos europeus na semana passada, ao tomar medidas para conter a crise no continente.

"O impacto da tentativa frustrada de elevar o limite do teto da dívida pode se estender para além das fronteiras americanas e prejudicar a economia global", disse Lagarde. O discurso foi feito no Conselho de Relações Estrangeiras em Nova York, onde Lagarde lembrou que uma queda na classificação de risco dos Estados Unidos “seria um evento muito, muito, muito sério, não apenas para os Estados Unidos, mas para a economia global”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Nesta terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, se disse confiante numa solução para a aquestão do aumento do limite de endividamento dos Estados Unidos, mas confessou apreensão. "Seria ruim para o mundo todo se houver a incapacidade do governo americano de pagar as dívidas, o serviço público e fazer qualquer tipo de investimento", disse o ministro, acrescentando que a crise que afeta a Europa e os Estados Unidos não deve ter fim nos próximos anos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, convocou e a população do país nesta segunda-feira e conseguiu uma expressiva resposta. A central telefônica do Capitólio, o Congresso dos EUA, amanheceu congestionada nesta terça-feira, depois do discurso proferido pelo presidente na noite anterior. Obama convocou os americanos a entrar em contato com seus representantes no Congresso para demandar “um enfoque equilibrado do orçamento”, em referência às discussões do parlamento para elevar o teto da dívida americana para além dos atuais US$ 14,3 trilhões.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

As páginas de internet de pelo menos nove congressistas também saíram do ar minutos depois do discurso de Obama devido ao excesso de tráfico, segundo o site DownForEveryoneOrJustMe.com, que registra quedas de sites. "Estou pedindo a todos que deixem que sua voz seja ouvida", disse o presidente durante o discurso, sugerindo aos cidadãos que usassem o telefone e a internet para apoiar o plano do partido Democrata.

Os republicanos, que têm maioria na Câmara, não abrem mão de permitir uma elevação apenas temporária do teto (até o fim do ano), o que demandaria uma nova negociação no início de 2012, que é ano de eleição. O Senado, de maioria democrata, não aprova a sugestão, mas os EUA têm apenas até o dia 2 de agosto para tomar a decisão, sob o risco de o país entrar em moratória e desencadear uma crise mundial.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A situação tem mobilizado tanto as atenções da população americana que já serviu até de mote para rap de protesto. Confira o vídeo:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO