Fortuna de Meirelles rendeu mais que o dobro da Selic depois que ele virou ministro

Fundo de investimentos que administra uma parte da fortuna do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, rendeu 32% desde maio de 2016, quando ele assumiu a pasta; desempenho é mais que o dobro da Selic, a taxa básica de juros e referência para investimentos; ministro de Temer recebeu R$ 217 milhões por consultorias realizadas a grandes empresas e mantém o dinheiro longe da tributação brasileira

Fundo de investimentos que administra uma parte da fortuna do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, rendeu 32% desde maio de 2016, quando ele assumiu a pasta; desempenho é mais que o dobro da Selic, a taxa básica de juros e referência para investimentos; ministro de Temer recebeu R$ 217 milhões por consultorias realizadas a grandes empresas e mantém o dinheiro longe da tributação brasileira
Fundo de investimentos que administra uma parte da fortuna do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, rendeu 32% desde maio de 2016, quando ele assumiu a pasta; desempenho é mais que o dobro da Selic, a taxa básica de juros e referência para investimentos; ministro de Temer recebeu R$ 217 milhões por consultorias realizadas a grandes empresas e mantém o dinheiro longe da tributação brasileira (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Parte da fortuna de R$ 217 milhões que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ganhou por consultorias a empresas rendeu 32% desde maio de 2016, quando ele assumiu a pasta após o golpe parlamentar que retirou a presidente eleita Dilma Rousseff e alçou Michel Temer à Presidência. 

Esse desempenho é mais que o dobro da Selic, a taxa básica de juros e referência para investimentos. Segundo reportagem de Filipe Coutinho, do BuzzFeed Brasil, da fortuna do ministro, cerca de R$ 50 milhões estão num fundo de investimento Brasil, o "Sagres Fundo de Investimento Multimercado Crédito Privado Investimento no Exterior". Esse foi o valor de cotas que a empresa de Meirelles transferiu para ele em setembro de 2016.

O gráfico abaixo mostra que desde 2012, o fundo tinha rendimento similar a um de renda fixa, como um título do Tesouro com rendimentos da Selic. Houve, inclusive, um momento de rendimento negativo, entre agosto de 2015 e março de 2016.

 

Os ventos começaram a mudar em março, quando o governo Dilma já dava sinais de que estava perto do fim e o mercado financeiro entrava em viés de alta. Naquele mês, o impeachment avançou na Câmara, o ex-presidente Lula foi alvo de uma operação da Polícia Federal e sua nomeação para ministro da Casa Civil foi barrada.

Essa combinação de más notícias para o governo do PT representou otimismo no mercado de investimentos. Foi justamente nesse período que o fundo ligado a Henrique Meirelles começou a acelerar até se distanciar da Selic e decolar.

Aqui, está o rendimento do fundo desde 12 de maio de 2016, quando Meirelles assumiu o governo.

 

Leia na íntegra a reportagem do BuzzFeed. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247