Furlan ao 247: “Brasil não pode se flagelar por juros”

Ex-ministro do Desenvolvimento prefere lembrar outro número além do aumento de 0,25 ponto na taxa Selic, estabelecido esta semana pelo Comitê de Política Monetária (foto) do BC; "Foram criados 112 mil empregos com carteira assinada no mês passado, mas só se fala em juros", assinalou ao 247; "Temos de parar com essa mania de gostar de sofrer"

Furlan ao 247: “Brasil não pode se flagelar por juros”
Furlan ao 247: “Brasil não pode se flagelar por juros”
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Marco Damiani _ 247 – O empresário Luiz Fernando Furlan conhece os dois lados do balcão. Quando presidia a Sadia, foi convidado pelo então presidente eleito Lula e assumiu o Ministério do Desenvovimento. Nesse papel, foi um dos atores principais no que muitos chamaram de "espetáculo do crescimento". Sempre pronto a subir em um avião, Furlan correu o mundo divulgando empresas brasileiras, realizando encontros de negócios e ajudando a colher, em retribuição, um avanço consistente da economia nacional. Nos últimos tempos, com trânsito em todas as áreas, ele voltou aos negócios, coordenando a fusão entre a Sadia e a Pergião para a criação da BRF. No setor de alimentos, tem em suas mãos um termômetro bastante sensível da economia.

Ao 247, Furlan, que não é filiado a nenhum partido político e acabava de sair de um seminário no tucanérrimo Instituto FHC, mostrou um otimismo com argumentos bastante sólidos, não sem deixar de fazer uma crítica ao pessimismo dominante em muitos setores.

- O Brasil precisa parar de se autoflagelar com essa questão dos juros, disse o ex-ministro. Parece até que não existem outros fatores que movimentam a nossa economia.

Rápido, ele lembrou o fator que considera fundamental:

- Esse País criou 112 mil empregos no mês passado. Para 112 mil trabahadores e seus familias, portanto, esse fato foi muito mais importante que o aumento de 0 vírgula 25 ponto na taxa de juros. Mas parece que há uma vontade de querer sofrer com isso. Temos de tocar para a frente, e continuar criando empregos. Esse é o crescimento real da economia que nós precisamos.

Como empresário, Furlan saboreia, no momento, uma conquista importante para a sua BRF: a chegada para o comando executivo da companhia do ex-presidente do Grupo Pão de Açúcar Abílio Diniz.

"O sr. trabalhou muito pela chegada de Diniz?", questionou o 247.

"Não posso falar sobre isso. O que dá para dizer é que as nossas ações bateram um recorde de alta hoje (quinta, 18) na Bolsa. Claro que estamos todos muito felizes. Não apenas nós estamos bem, mas o País vai bem e pelo rumo certo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247