Gol perde com alta do petróleo

Aes caem na bolsa mesmo com crescimento de 362% do lucro lquido no primeiro trimestre. Piora do resultado operacional um dos motivos para a fuga dos investidores

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Lu Miranda_247 – O preço do petróleo teve alta excepcional de quase 5% na quarta-feira 11. Esse aumento gradativo no preço internacional da commodity tem impactado os resultados das empresas aéreas. A Gol sentiu isso nos seus resultados trimestrais. A companhia divulgou o balanço dos primeiros três meses do ano com lucro, mas não convenceu o mercado financeiro. As ações GOLL4 lideraram as perdas do Ibovespa durante quase todo o pregão. Uma demonstração de que os investidores estão muito, mas muito preocupados com a explosão do preço do combustível e os efeitos sobre a rentabilidade da empresa.

A Gol teve lucro líquido de R$ 110,5 milhões no primeiro trimestre, o que representa alta de 362% na comparação com o mesmo período de 2010. Mas as despesas da companhia também cresceram. No mês de abril, os gastos com combustíveis cobertos para 2011 subiram de 20% para 40% e podem chegar a 60%, segundo a própria empresa. Para compensar o aumento de custos, a Gol anunciou a demissão de 1,1 mil vagas, a maioria delas de aeroviários, o que vai representar uma economia de R$ 45,5 milhões em um ano. O mercado ficou ainda mais arisco.

Mesmo com o aumento no número de vôos domésticos em 2011 e o desconto de custos altos com leasing de aeronaves que marcam os negócios das empresas aéreas, o resultado operacional da Gol foi decepcionante. O Ebitdar ajustado (equivalente ao Ebitda antes das despesas com arrendamento de aeronaves, denominado em dólares) foi de R$ 411,5 milhões no primeiro trimestre, 1,6% acima do mesmo período do ano passado. A margem Ebitdar também caiu para 21,7%, ante 23,4% na mesma comparação. Já a receita líquida ajustada da Gol foi de R$ 1,9 bilhão, com alta de 9,6% sobre R$ 1,7 bilhão do primeiro trimestre do ano passado.

Além da estratégia de compensar o aumento de custos com a redução das despesas em outras áreas, a Gol também anunciou que está revendo a política de hedge (proteção no mercado de capitais) contra as oscilações do preço do petróleo. As operações feitas durante a oscilação internacional do petróleo este ano não deram certo. Segundo o balanço da empresa, o hedge feito por meio de contratos de derivativos de petróleo cru (WTI) deram prejuízo de R$ 4,4 milhões no trimestre. Na bolsa brasileira, o resultado dessas dificuldades é mostrado pelo histórico de rentabilidade das ações da Gol. Em 2011, a perda do papel já supera 15%.

Em relatório sobre os resultados da Gol, o Credit Suisse afirma que ainda pode haver mais pressão sobre as ações da companhia após esses resultados. Na avaliação do banco suíço, o desempenho da empresa no trimestre foi prejudicado por R$ 120 milhões em despesas não recorrentes e não financeiras. No entanto, a análise sobre a Gol aponta que “o investimento continua tendo suporte no foco que a empresa tem na lucratividade, no menor custo de sua estrutura e na diluição do custo potencial a partir da utilização maior das aeronaves e da frota mais nova. Isso pode levar a um aumento de margem em 2011”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email