Governo propõe bancar redução de 10% do diesel por 30 dias para acabar com greve

O governo propôs a caminhoneiros, que nesta quinta-feira completam o quarto dia de paralisações no país, bancar uma redução de 10% no preço do diesel por 30 dias para tentar colocar fim ao movimento que gera desabastecimento em várias cidades, disse o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que estava presente em reunião do governo do presidente Michel Temer com caminhoneiros no Planalto; aumentos passarão a ser a cada 30 dias e não mais diariamente

O governo propôs a caminhoneiros, que nesta quinta-feira completam o quarto dia de paralisações no país, bancar uma redução de 10% no preço do diesel por 30 dias para tentar colocar fim ao movimento que gera desabastecimento em várias cidades, disse o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que estava presente em reunião do governo do presidente Michel Temer com caminhoneiros no Planalto; aumentos passarão a ser a cada 30 dias e não mais diariamente
O governo propôs a caminhoneiros, que nesta quinta-feira completam o quarto dia de paralisações no país, bancar uma redução de 10% no preço do diesel por 30 dias para tentar colocar fim ao movimento que gera desabastecimento em várias cidades, disse o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que estava presente em reunião do governo do presidente Michel Temer com caminhoneiros no Planalto; aumentos passarão a ser a cada 30 dias e não mais diariamente (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

BRASÍLIA (Reuters) - O governo propôs a caminhoneiros, que nesta quinta-feira completam o quarto dia de paralisações no país, bancar uma redução de 10 por cento no preço do diesel por 30 dias para tentar colocar fim ao movimento que gera desabastecimento em várias cidades, disse o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), que estava presente em reunião do governo do presidente Michel Temer com caminhoneiros no Planalto.

Os aumentos passarão a ser a cada 30 dias e não mais diariamente. Terra disse também que os caminhoneiros reivindicaram ainda que o Senado aprove proposta que já passou na Câmara dos Deputados que zera o PIS/Cofins sobre o diesel até o fim do ano e querem a aprovação de projeto de lei que estabelece preço mínimo do frete.

O deputado disse que, se a categoria tiver garantia de que isso será feito, poderá voltar ao trabalho na sexta-feira ou no sábado.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247