Governo vai propor novo imposto para bancar desoneração da folha de pagamentos

Objetivo é arrecadar R$ 120 bi ao ano para compensar as perdas da desoneração da folha de pagamentos. Alíquota será de 0,2%

Guilherme Afif Domingos
Guilherme Afif Domingos (Foto: Charles Damasceno/Sebrae)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O assessor especial do Ministério da Economia, Guilherme Afif Domingos, informou que o governo vai enviar em agosto ao Congresso a proposta de criação do que ele chama de “microimposto” digital para desonerar a folha de salários das empresas.  

Os cálculos iniciais apontam que a arrecadação poderá ser de R$ 120 bilhões ao ano. 

A alíquota será de 0,2%, com uma base de tributação mais ampla do que a da CPMF.

Em entrevista ao Estadão, Afif disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende com o novo tributo financiar a desoneração parcial da folha para salários entre 1 e 1,5 mínimo (R$ 1.045 e R$ 1.567,50), viabilizar o programa social “Renda Brasil” (pensado para substituir o Bolsa Família) e aumentar a faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) (hoje, em R$ 1,9 mil).

Afif acha que não há outra alternativa possível. Ele informa que o ministro da Economia Paulo Guedes vai apresentar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) para que a discussão possa sr feita no âmbito da reforma tributária. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247