Grupo chinês produz petróleo no Iraque

Acordo de US$ 3 bilhes permitir a produo de 60 mil barris/dia

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A China National Petroleum Corporation (conhecida como CNPC na sigla em inglês), a companhia semi-estatal chinesa de petróleo, iniciou a produção de petróleo no campo de al-Ahdab, na região central do Iraque, segundo autoridades iraquianas. Um porta-voz do Ministério do Petróleo do Iraque afirmou que a produção começou com a extração de cerca de 40 mil barris por dia, quantidade que será elevada para 60 mil barris dentro de poucas semanas.

O acordo da CNPC - firmado em 2008 por um prazo de 23 anos e com valor estimado de US$ 3 bilhões - foi o primeiro no setor petrolífero formalizado pelo governo iraquiano com uma companhia estrangeira após a invasão do território iraquiano por forças lideradas pelos EUA em 2003 e que culminou com a queda de Saddam Hussein do poder.

O campo petrolífero com reservas estimadas de 1 bilhão de barris está localizado perto da cidade de Kut, a cerca de 160 quilômetros ao sudoeste de Bagdá. O Iraque formalizou 15 acordos exploratórios de petróleo e gás desde 2003, após mais de três décadas sem investimentos no setor energético do país.

O petróleo extraído pela CNPC será enviado para a estação de Tuba, no sudoeste do Iraque antes de ser bombeado pelos terminais exportadores iraquianos no Golfo Pérsico. A cerimônia de início da produção contou com a participação do ministro do Petróleo, Abdul Kareem Luaiby, e do vice-primeiro-ministro de energia, Hussein al-Shahristani, assim como de executivos da companhia chinesa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email