Guedes diz que programa de redução de jornada e salário será prorrogado por mais dois meses

Com a nova prorrogação, as empresas poderão manter contratos suspensos ou salários reduzidos por até seis meses

Paulo Guedes
Paulo Guedes (Foto: Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (21) que o programa que dá permissão às empresas para suspender contratos ou reduzir a jornada de trabalho e o salário de funcionários será prorrogado por mais dois meses.

O programa foi lançado em abril com o objetivo de conter o aumento do desemprego agravado pela pandemia de coronavírus.

A nova prorrogação do programa permite, portanto, que empresas mantenham suspensos contratos ou as reduções de salários por até seis meses, ou seja, até setembro. “O benefício emergencial já favoreceu quase 16 milhões de trabalhadores que tiveram seus empregos preservados graças ao programa", disse Guedes, durante transmissão pela internet.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247