Guedes já queimou US$ 50 bilhões das reservas acumuladas por Lula e Dilma

Apesar disso, a moeda brasileira é a que mais perdeu valor no mundo, em razão da falta de confiança do mundo no Brasil

Ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília
27/04/2020 REUTERS/Ueslei Marcelino
Ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília 27/04/2020 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A gestão Guedes-Bolsonaro na economia já queimou 15% das reservas internacionais acumuladas nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, que fortaleceram a solvência internacional do Brasil. "Em junho do ano passado, as reservas em moeda estrangeira do Banco Central atingiram o patamar recorde de US$ 390 bilhões. No dia 17 deste mês, estavam em US$ 340 bilhões. Ou seja, em menos de um ano, a autoridade monetária vendeu US$ 50 bilhões, uma redução de 15% no estoque, com objetivo de suavizar os movimentos no mercado de câmbio. A última vez em que as reservas estiveram neste patamar foi durante o ano de 2011", informa reportagem de Eduardo Cucolo, na Folha de S. Paulo.

Apesar disso, a moeda brasileira é a que mais perdeu valor no mundo, em razão da falta de confiança do mundo no Brasil. No dia de ontem, o dólar fechou a R$ 5,35, com ligeira queda, mas ainda com alta expressiva desde o início da gestão Guedes-Bolsonaro.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247