Indicadores sugerem recuo no PIB do 2º semestre e país em recessão técnica

A economia brasileira pode estar de fato em recessão técnica, na avaliação da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado; de acordo com o Relatório de Acompanha Fiscal (RAF) divulgado pelo órgão, o comportamento dos indicadores de alta frequência já divulgados no segundo trimestre do ano indica a possibilidade de nova contração do PIB

Com economia em queda, governo vai cortar estimativa do PIB e mudar divulgação
Com economia em queda, governo vai cortar estimativa do PIB e mudar divulgação (Foto: Esq.: Sergio Moraes - Reuters / Dir.: Cesar Ferrari - Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A economia brasileira pode estar de fato em recessão técnica, na avaliação da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado. De acordo com o Relatório de Acompanha Fiscal (RAF) divulgado pelo órgão, o comportamento dos indicadores de alta frequência já divulgados no segundo trimestre do ano indica a possibilidade de nova contração do Produto Interno Bruto (PIB) no período. A informação é da Exame. 

“A produção industrial segue constrangida pelas incertezas e pela fraca demanda externa, enquanto indicadores de confiança indicam pessimismo de consumidores e empresários, especialmente com as condições futuras da economia”, destaca o documento.

A economia brasileira retraiu 0,2% no primeiro trimestre de 2019 frente aos três meses anteriores. Um novo recuo da atividade entre abril e junho significaria que o País entrou de fato na chamada recessão técnica.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email