Informalidade recorde no mercado de trabalho derruba produtividade da economia do Brasil

A informalidade recorde está contribuindo para a derrubada da produtividade da economia, que tenta se recuperar de recessão vivida engre 2014 e 2016. "A tendência natural seria esperar uma alta", diz economista Fernando Veloso

Pessoas fazem fila em busca de oportunidades de emprego no centro de São Paulo
Pessoas fazem fila em busca de oportunidades de emprego no centro de São Paulo (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A informalidade recorde no mercado de trabalho contribui para a derrubada da produtividade da economia brasileira, que tenta se recuperar da recessão vivida entre 2014 e 2016. Economias em crescimento e com geração de empregos normalmente atraem investimentos em inovação, equipamentos e capacitação, assim, a produtividade aumenta. No Brasil, o processo é invertido.

Representando 41,4% da força de trabalho, 38,8 milhões de trabalhadores estão na informalidade. Um recorde. As vagas de emprego que surgiram entre 2018 e 2019, quase 100% informais, tem remunerações menores e baixa produtividade, como por exemplo: entregadores de aplicativos, vendedores ambulantes, empregadas domésticas e vendedores a domicílio, de acordo com estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Cálculos mostram que a produtividade por hora trabalhada permaneceu intacta em 2018, sendo que em 2017 este número passou a se recuperar. Em 2019 a produtividade cai. No primeiro trimestre oberva-se uma queda de 1,1% e no segunde de 1,7%. Para o economista da FGV Fernando Veloso, "a tendência natural seria esperar uma alta".

A pesquisadora Laisa Rachter aponta a informalidade no mercado de trabalho como uma das responsáveis pela queda de produtividade, Segunda Laisa, os novos trabalhadores informais estarem ganhando ainda menos do que os que já trabalhavam antes no mercado informal mostra que as pessoas estão dispostas a topar tudo por um emprego em 2019.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247