Japão teme êxodo industrial

Temendo fuga em massa de empresas depois do tsunami, governo flexibiliza normas e burocracia

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O governo do Japão vai flexibilizar, drasticamente, as normas de construção de fábricas para prevenir que haja um êxodo da produção, em razão da valorização do iene e do impacto do terremoto e tsunami de março, informa a edição do Nikkei deste sábado. Entre as mudanças planejadas estão a redução de 10% para 5% da proporção de área verde dos terrenos nos quais são construídas as fábricas, assim como flexibilização das regulamentações de segurança e poluição. O intuito é reduzir os custos das companhias.

Em 2010, ocorreram 786 compras de terrenos voltados para projetos de construção de fábricas no Japão, menos da metade do número de três anos antes. Para manter as companhias no Japão, o governo estuda reduzir o imposto que incide sobre as empresas, entre outras medidas. Mas como as condições fiscais devem piorar após a catástrofe de março, o governo decidiu que iniciativas diferentes são necessárias para evitar a fuga das indústrias.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email