Lava Jato derruba títulos de empreiteiras

Papéis da empresa de Marcelo Odebrecht eram negociados a 80,6% de seu valor inicial, que é de US$ 100, na última sexta-feira; no dia 19, dia da prisão na Lava Jato, patamar era de 85%; a queda da Andrade Gutierrez, de Otavio Azevedo, foi ainda maior: de 85% para 77% do valor de face, também de US$ 100

Papéis da empresa de Marcelo Odebrecht eram negociados a 80,6% de seu valor inicial, que é de US$ 100, na última sexta-feira; no dia 19, dia da prisão na Lava Jato, patamar era de 85%; a queda da Andrade Gutierrez, de Otavio Azevedo, foi ainda maior: de 85% para 77% do valor de face, também de US$ 100
Papéis da empresa de Marcelo Odebrecht eram negociados a 80,6% de seu valor inicial, que é de US$ 100, na última sexta-feira; no dia 19, dia da prisão na Lava Jato, patamar era de 85%; a queda da Andrade Gutierrez, de Otavio Azevedo, foi ainda maior: de 85% para 77% do valor de face, também de US$ 100 (Foto: Roberta Namour)

247 – As ações da Odebrecht e da Andrade Gutierrez despencaram desde a prisão de Marcelo Odebrecht e de Otavio Azevedo na nova fase da operação Lava Jato, por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras, no dia 19 de junho.

Os papéis da Odebrecht eram negociados a 80,6% de seu valor inicial, que é de US$ 100, na última sexta-feira. No dia 19, o patamar era de 85%.

A queda da Andrade Gutierrez foi ainda maior: de 85% para 77% do valor de face, também de US$ 100.

As empreiteiras ainda correm o risco de serem rebaixadas pelas agências de classificação.

Leia aqui reportagem de Ronaldo D’Ercole sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247