Leilão da Ferrovia Oeste Leste rende R$ 32,7 milhões ao governo

A Corretora Itaú, que arrematou parte da ferrovia, ficou responsável pela finalização do empreendimento e operação do trecho

Ferrovia Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité
Ferrovia Oeste-Leste, entre Ilhéus e Caetité (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Metrópoles - A Infra Week, semana de leilões do governo federal que começou com a concessão de 22 aeroportos nesta quarta-feira (7/4), também foi marcada pelo leilão do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste Leste, a Fiol 1, que garantirá ao governo R$ 3,3 bilhões em investimentos, sendo R$ 1,6 bilhão para conclusão das obras.

O evento ocorreu nesta quinta-feira (8/4), em São Paulo. O Ministério da Infraestrutura, por meio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), concedeu o trecho de 537 quilômetros de extensão entre as cidades de Ilhéus e Caetité, na Bahia, à empresa Bahia Mineração SA, da Corretora Itaú. A empresa deu um lance de R$ 32,7 milhões.

Este é o segundo leilão de ferrovia feito no governo do presidente Jair Bolsonaro. O primeiro foi o da Ferrovia Norte-Sul, realizado em 2019 e vencido pela Rumo, a qual pagou R$ 2,719 bilhões pela concessão, com um ágio de 100,92% sobre o preço mínimo.

O Governo Federal ainda trabalha nos projetos para concessão dos outros dois trechos: a Fiol 2, entre Caetité (BA) e Barreiras (BA), com obras em andamento, e a Fiol 3, de Barreiras (BA) a Figueirópolis (TO), que aguarda licença de instalação por parte do Ibama.

Continue lendo no Metrópoles

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email