Levy quer aprovar agenda de Renan ainda este ano

Prioridade para a Fazenda, entre as 27 medidas em negociação com o Senado, é a reversão na desoneração da folha de pagamentos, aprovação das reformas do ICMS e PIS/Cofins e aprovação do projeto de repatriação de capitais; em encontro com o ex-presidente Lula, a cúpula do PMDB cobrou do Joaquim Levy uma agenda pós-ajuste 

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, se reúne com o presidente do Senado, Renan Calheiros (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, se reúne com o presidente do Senado, Renan Calheiros (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tenta aprovar até o final do ano pelo menos quatro medidas do pacote de 27 em negociação com o Senado.

A prioridade para elevar a arrecadação é a reversão na desoneração da folha de pagamentos, aprovação das reformas do ICMS e PIS/Cofins e aprovação do projeto de repatriação de capitais.

Em encontro com o ex-presidente Lula, a cúpula do PMDB cobrou do Joaquim Levy uma agenda pós-ajuste.

De acordo com Renan, a votação de projetos que têm convergência com essa agenda começa na próxima semana, com o projeto que dá fim à desoneração das folhas de pagamento de vários setores da economia (PLC 57/2015). Esse é o último projeto do ajuste fiscal proposto pelo Executivo e sua votação abrirá caminho para matérias que já tramitam no Senado e têm ligação com os eixos principais da agenda.

“A reunião foi muito boa, dentro da expectativa que se tinha, e tudo que for convergente será pautado, sobretudo o que já está pronto para votação. Vamos dar continuidade às conversas, recolher as propostas dos senadores e senadoras, tentar incluir a Câmara dos Deputados, porque muitas dessas matérias já estão tramitando na Câmara. E para que nós preservemos o interesse nacional é fundamental que o Legislativo esteja participando como um todo dessa discussão”, disse Renan após a reunião.

Leia aqui reportagem de Claudia Safatle e de Raymundo Costa sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email