Madero demite 600 funcionários após prometer manter quadro durante a crise

Dono da rede, o empresário bolsonarista Júnior Durski, que é também sócio de Luciano Huck e dono de jato particular, fez pressão para que a quarentena fosse revista

Junior Durski
Junior Durski (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "A rede de restaurantes Madero demitiu 600 funcionários nesta quarta-feira, 1º de abril, nove dias depois de o proprietário Junior Durski prometer a manutenção de todos os empregos durante a crise econômica mundial causada pela pandemia do novo coronavírus", aponta reportagem do jornal Estado de Minas.

No dia 23 de março, o dono do Madero causou polêmica ao se manifestar contra o regime de isolamento recomendado pelas autoridades médicas para evitar o aumento exponencial do número de infectados. Segundo ele, o Brasil sofreria consequências muito maiores em sua economia do que as mortes provocadas pela COVID-19.

“Sei que temos de chorar e vamos chorar por cada uma das pessoas que vão morrer com o coronavírus. Vamos cuidar, vamos isolar os idosos, as pessoas que tenham algum problema de saúde, como diabetes, vamos! É nossa obrigação fazer isso. Mas não podemos, por conta de cinco ou sete mil pessoas que vão morrer…”.

Em 2018, Junior Durski e seus sócios receberam R$ 700 milhões do fundo norte-americano Carlyle pela venda de 22,3% de participação na rede, que conta com 148 restaurantes em 18 estados brasileiros, além da sede administrativa em Curitiba e uma fábrica de hambúrgueres em Ponta Grossa, no interior do Paraná.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247