Marcos Cintra usa redes sociais para não enterrar debate sobre a CPMF

Demitido por Paulo Guedes a mando de Bolsonaro por defender a criação de uma nova CPMF, o agora ex-secretário da Receita, Marcos Cintra, usou as redes sociais para defender a proposta do novo imposto

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Demitido por Jair Bolsonaro por fazer a defesa pública da recriação de um novo imposto, nos moldes da extinta Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o ex-secretário da Receita Marcos Cintra usou as redes sociais para defender o imposto.

Compartilhando uma postagem da jornalista Juliana Rosa, da GloboNews, que dizia que apenas cinco países no mundo adotam um imposto desse tipo: Venezuela, Argentina, República Dominicana, Peru e Sri Lanka, Cintra citou outros países e justificou a medida.

"A Hungria teve autorizaçao do Banco Central Europeu e introduziu o imposto em 2014.  Na Argentina é usado há 20 anos com aliquota de 1,2% com excelentes resultados. Paises com tradição tributaria consolidada não precisam dele", escreveu.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email