Meirelles fere lei eleitoral e faz campanha antecipada

Disposto a disputar a presidência da República em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem usado suas redes sociais para fazer campanha antecipada – não se sabe ainda se com recursos próprios ou de equipe de comunicação paga pelo governo federal; na imagem acima, ele se coloca como um executivo de sucesso no setor privado, que estaria disposto a retribuir à sociedade tudo o que recebeu; até agora, no entanto, Meirelles não tem muita coisa pra mostrar; o desemprego é recorde e o Brasil nunca teve tanta gente fora do mercado de trabalho por longos períodos como agora

Disposto a disputar a presidência da República em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem usado suas redes sociais para fazer campanha antecipada – não se sabe ainda se com recursos próprios ou de equipe de comunicação paga pelo governo federal; na imagem acima, ele se coloca como um executivo de sucesso no setor privado, que estaria disposto a retribuir à sociedade tudo o que recebeu; até agora, no entanto, Meirelles não tem muita coisa pra mostrar; o desemprego é recorde e o Brasil nunca teve tanta gente fora do mercado de trabalho por longos períodos como agora
Disposto a disputar a presidência da República em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem usado suas redes sociais para fazer campanha antecipada – não se sabe ainda se com recursos próprios ou de equipe de comunicação paga pelo governo federal; na imagem acima, ele se coloca como um executivo de sucesso no setor privado, que estaria disposto a retribuir à sociedade tudo o que recebeu; até agora, no entanto, Meirelles não tem muita coisa pra mostrar; o desemprego é recorde e o Brasil nunca teve tanta gente fora do mercado de trabalho por longos períodos como agora (Foto: Ana Pupulin)

247 – Disposto a disputar a presidência da República em 2018, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem usado suas redes sociais para fazer campanha eleitoral antecipada – não se sabe ainda se com recursos próprios ou de equipe de comunicação paga pelo governo federal. Seja como for, a atitude de Meirelles fere as normas do Tribunal Superior Eleitoral.

Na imagem acima, postada em seu Twitter, ele se coloca como um executivo de sucesso no setor privado, que estaria disposto a retribuir à sociedade tudo o que recebeu.

Até agora, no entanto, Meirelles não tem muita coisa pra mostrar. O desemprego é recorde e o Brasil nunca teve tanta gente fora do mercado de trabalho por longos períodos como agora. O golpe e sua recessão deixaram um legado preocupante no mercado de trabalho brasileiro: o desemprego de longa duração. São pessoas que buscam uma vaga, sem encontrar, há um ano ou mais. Havia 5,029 milhões de pessoas nessa condição no quarto trimestre do ano passado, 130% a mais do que no mesmo período de 2014 (saiba mais aqui).

Inscreva-se na TV 247 e acompanhe o "Bom dia 247":

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247