Meirelles revisa previsão do PIB para baixo

Apesar do discurso de otimismo oficial do governo, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reviu para baixo as previsões do PIB para o 4º trimestre; Meirelles afirmou, em uma das diversas teleconferências das quais tem participado com investidores que o ritmo de expansão da economia chegaria a 2,2% no quarto trimestre deste ano, na comparação com igual período de 2016; o dado é inferior aos 2,7% que o ministro vinha mencionando em público e até em outras conferências e aumenta o risco de revisão para baixo na estimativa oficial de 0,5% de alta do PIB neste ano

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio às incertezas geradas pela crise política, as projeções de crescimento econômico do governo também começaram a ser impactadas. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse em uma das diversas teleconferências das quais tem participado com investidores que o ritmo de expansão da economia chegaria a 2,2% no quarto trimestre deste ano, na comparação com igual período de 2016.

O dado é inferior aos 2,7% que o ministro vinha mencionando em público e até em outras conferências e aumenta o risco de revisão para baixo na estimativa oficial de 0,5% de alta do PIB neste ano.

As informações são de reportagem da Fabio Graner do Valor.

"Desde que a crise política se agudizou, em 17 de maio, a equipe econômica do governo tem reforçado seu diálogo com o mercado financeiro, em especial com investidores internacionais. Somente Meirelles participou de sete reuniões com investidores, uma delas na viagem que fez à França há duas semanas, onde também teve um encontro com um representante de uma das maiores gestoras de recursos do mundo, a Pimco.

Outros integrantes da equipe econômica também têm tido encontros com investidores com elevada frequência desde o estouro da crise política." 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247