Mendes Júnior diz ter sido vítima de extorsão

Vice-presidente executivo da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou em depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira, 18, que foi extorquido em R$ 8 milhões pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em 2011; segundo advogado de Mendes, Marcelo Leonardo, a extorsão era ligada a um contrato da Mendes Júnior com a Petrobras para obras na refinaria Presidente Vargas (Repar), em Araucária (PR); "A empresa que não fizesse pagamento não receberia a fatura a que teria direito legitimamente"

Vice-presidente executivo da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou em depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira, 18, que foi extorquido em R$ 8 milhões pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em 2011; segundo advogado de Mendes, Marcelo Leonardo, a extorsão era ligada a um contrato da Mendes Júnior com a Petrobras para obras na refinaria Presidente Vargas (Repar), em Araucária (PR); "A empresa que não fizesse pagamento não receberia a fatura a que teria direito legitimamente"
Vice-presidente executivo da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou em depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira, 18, que foi extorquido em R$ 8 milhões pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em 2011; segundo advogado de Mendes, Marcelo Leonardo, a extorsão era ligada a um contrato da Mendes Júnior com a Petrobras para obras na refinaria Presidente Vargas (Repar), em Araucária (PR); "A empresa que não fizesse pagamento não receberia a fatura a que teria direito legitimamente" (Foto: Aquiles Lins)

247 - O vice-presidente executivo da Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, afirmou em depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira, 18, que foi extorquido pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Ele disse que pagou R$ 8 milhões aos entre julho e setembro de 2011.

"Ele informou [à PF] que conhecia Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef e que foi pressionado por eles a fazer um pagamento sob pena dos contratos antigos e futuros da empresa não terem andamento. Em razão dessa extorsão, eles fizeram um único pagamento para as empresas de Youssef", disse a jornalistas o advogado de Mendes, Marcelo Leonardo. 

Segundo Leonardo, Youssef foi apresentado à Mendes Júnior pelo deputado federal José Janene (PP-PR), morto em 2010. Ele disse que seu cliente não sabia para onde foi o dinheiro, depositado em contas de empresas do doleiro.

O advogado contou que a extorsão era ligada a um contrato da Mendes Júnior com a Petrobras para obras na refinaria Presidente Vargas (Repar), em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. "A empresa que não fizesse pagamento não receberia a fatura a que teria direito legitimamente", disse Leonardo, que defendeu Marcos Valério durante a Ação Penal 470, o chamado mensalão.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247