CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Economia

Microsoft anuncia a demissão de 7,8 mil

Postos de trabalho suprimidos representam cerca de 6,5% do efetivo total do grupo, que não informou em que países, ou cidades, irão ocorrer as demissões; "Nós estamos mudando de uma estratégia de crescer em um negócio apenas de telefone para uma estratégia de crescer e criar um vibrante ecossistema Windows", afirmou o diretor-executivo Satya Nadella em um comunicado

Imagem Thumbnail
Postos de trabalho suprimidos representam cerca de 6,5% do efetivo total do grupo, que não informou em que países, ou cidades, irão ocorrer as demissões; "Nós estamos mudando de uma estratégia de crescer em um negócio apenas de telefone para uma estratégia de crescer e criar um vibrante ecossistema Windows", afirmou o diretor-executivo Satya Nadella em um comunicado (Foto: Roberta Namour)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Washington, 8 Jul 2015 (AFP) - A Microsoft anunciou nesta quarta-feira planos para cortar 7.800 postos de trabalho e para uma reorganização da unidade Windows Phone, que luta para avançar no mercado de telefonia celular.

"Nós estamos mudando de uma estratégia de crescer em um negócio apenas de telefone para uma estratégia de crescer e criar um vibrante ecossistema Windows", afirmou o diretor-executivo Satya Nadella em um comunicado.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Os 7.800 postos de trabalho suprimidos representam cerca de 6,5% do efetivo total do grupo, que não informou em que países, ou cidades, irão ocorrer as demissões.

A empresa vai demitir funcionários, principalmente, nas atividades de telefonia e contabilizará uma carga de 7,6 bilhões de dólares por depreciação de ativos, segundo o comunicado.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

As demissões afetarão, sobretudo, as atividades assumidas com a compra da fabricante finlandesa de telefones Nokia, concluída no ano passado.

Nokia: um erro que custou caroA Microsoft já havia suprimido 18.000 empregos em 2014 e decidiu parar de utilizar a marca Nokia para seus smartphones. Segundo o analista do setor Jeff Kagan, a aquisição da Nokia foi "um erro que custou muito caro, tanto em termos de dinheiro quanto de tempo".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Acho que o Windows 10 talvez seja a última oportunidade real de crescimento para a Microsoft. Também funcionará nos aparelhos móveis e será muito interessante ver se poderão juntar todas as peças", acrescentou.

Em junho, a Microsoft já havia anunciado a saída de Stephen Elop, ex-diretor da Nokia, dentro de uma mudança de direção.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em um comunicado, o governo finlandês informou que, no país, 2.300 vagas serão afetadas. Hoje, a Nokia conta com 3.500 funcionários no país.

O governo disse estar "decepcionado" com a decisão da Microsoft. As autoridades anunciaram que, após o recesso do Parlamento, enviará à Casa um pacote orçamentário para financiar medidas de apoio aos funcionários atingidos. A maioria se concentra na região de Salo (sudoeste), onde há um centro de pesquisa especializado em "smartphones".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A Nokia e a Microsoft foram amplamente superadas no mercado pelos iPhones da Apple, assim como pelo Galaxy da Samsung e os fabricantes chineses que usam o software Android do Google.

O grupo de Redmont (Washington, noroeste dos EUA) tentou recuperar o terreno perdido com a compra da Nokia, mas essa estratégia não foi bem-sucedida. Sua porção do mercado nesse competitivo setor deve beirar 3% este ano, segundo a companhia IDC.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em e-mail aos funcionários, Satya Nadella garantiu que as decisões não foram tomadas "às pressas, em vista dos efeitos que têm na vida das pessoas que são importantes para a empresa".

Nadella acrescentou que a medida será aplicada "nos próximos meses".

Em seu comunicado, a Microsoft afirma ainda que a meta é concluir as demissões antes do fim de seu próximo ano fiscal, em junho de 2016.

A empresa prevê uma quantia de entre 750 e 850 milhões de dólares para financiar as demissões.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO