Ministro reconhece que arrecadação ficou R$ 150 bilhões menor após o golpe

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, admite que após o golpe que destituiu Dilma Rousseff, houve uma queda de R$ 150 bilhões na arrecadação federal; o ministro não descarta uma nova alta de impostos; "Nós tínhamos uma média histórica de 22,4% do PIB de arrecadação federal e nós estamos indo para 20% em 2018. Uma perda de 2,4 pontos percentuais do PIB, traduzindo em dinheiro, algo como R$ 150 bilhões", disse

Brasília - O ministro do Planejamento; Dyogo Oliveira participa da comissão sobre a a reforma da Previdência (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - O ministro do Planejamento; Dyogo Oliveira participa da comissão sobre a a reforma da Previdência (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em entrevista à jornalista Miriam Leitão, de O Globo, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira., admitiu o prejuízo bilionário que o golpe trouxe para o Brasil.

"Nós tínhamos uma média histórica de 22,4% do PIB de arrecadação federal e nós estamos indo para 20% em 2018. Uma perda de 2,4 pontos percentuais do PIB, traduzindo em dinheiro, algo como R$ 150 bilhões. Não digo que os impostos vão aumentar, mas para que se tenha uma discussão objetiva sobre as coisas nós temos que falar com os números."

Oliveira defendeu ainda a reforma da Previdência. 

"É uma desproporção muito grande. Quem ganha salário mínimo já se aposenta com quase 65 anos. O aposentado do setor público se aposenta mais cedo e ganhando mais. A reforma é para equilibrar e ter mais justiça no sistema."

Ele disse que a negociação para a reforma da Previdência dos militares prossegue e justificou o fato de eles terem sido poupados do congelamento dos salários afirmando que eles ganham menos que os servidores civis.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247