Monica De Bolle critica oportunismo de Temer com o PIB

O agravamento da crise política e a perspectiva de que o governo moribundo de Michel Temer arraste o que sobrou da economia brasileira para a paralisia necrosante é real. O que virá pela frente com novas revelações das delações da JBS deverá servir de golpe de misericórdia nesse País tão maltratado por políticos interessados somente em seu próprio bem-estar e proteção, diz colunista do Estadão

monica de bolle
monica de bolle (Foto: Charles Nisz)

247 - A economista Mônica De Bolle, em coluna no jornal O Estado de São Paulo, criticou a comemoração de Temer diante do tímido crescimento do PIB no primeiro trimestre de 2017. Para a economista, o dado mascara a realidade de que o país depende quase totalmente do agronegócio - o setor cresceu 15,6% - enquanto a indústria mostra queda de 9,9% no período.

"Ao saber que a economia brasileira crescera 1% no primeiro trimestre de 2017, Temer aderiu às práticas Trumpistas. Foi ao Twitter e bradou: "Acabou a recessão!". Em grande estilo "fatos alternativos", o Presidente disse mais — "Isso é resultado das medidas que estamos tomando". A não ser que Temer tenha se tornado um rei da soja ou do milho da noite para o dia, a verdade inconveniente é que não é bem assim", avalia Mônica.

O agravamento da crise política e a perspectiva de que o governo moribundo de Michel Temer arraste o que sobrou da economia brasileira para a paralisia necrosante é real. O que virá pela frente com novas revelações das delações da JBS deverá servir de golpe de misericórdia nesse País tão maltratado por políticos interessados somente em seu próprio bem-estar e proteção. Os cenários de recessão em 2017 que praticamente não existiam no pré-Joesley passaram a assombrar o pós-Joesley, diz a colunista, em outro trecho do texto.

 
 
 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247