Montadoras só voltarão ao recorde de Dilma em 2025

A venda de carros e veículos comerciais leves deve crescer 11,9% em 2018; porém, o recorde de vendas, obtido no governo Dilma, em 2012, só se repetirá em 2025; na ocasião, foram vendidas 3,8 milhões de unidades, segundo a Fenabrave - entidade que reúne as distribuidoras de veículos

Carros novos estacionados em montadora em Taubaté. 19/06/2015 REUTERS/Paulo Whitaker
Carros novos estacionados em montadora em Taubaté. 19/06/2015 REUTERS/Paulo Whitaker (Foto: Charles Nisz)

247 - A venda de carros e veículos comerciais leves deve crescer 11,9% em 2018. Porém, o recorde de vendas, obtido no governo Dilma, em 2012, só se repetirá em 2025. Na ocasião, foram vendidas 3,8 milhões de unidades, segundo a Fenabrave - entidade que reúne as distribuidoras de veículos.

A perda de dias úteis e o interesse por outros bens de consumo (televisores, em especial) no período da Copa serão compensados pelo crescimento ao longo do ano.

Ao todo, a Fenabrave espera que 2,5 milhões de veículos leves, caminhões e ônibus sejam emplacados em 2018. A marca é 9,2% maior em relação a 2016. A retomada ocorre após quatro anos de queda, mas mostra o quanto o mercado encolheu. O volume do ano passado é pouco inferior aos licenciamentos de 2007.

O crédito continua a ser um problema, mas a Fenabrave vê evolução nas concessões de financiamentos. No segmento de caminhões, a safra agrícola impulsionou a renovação da frota. A associação prevê alta de 8,6% na venda de caminhões e ônibus em 2018 sobre 2017.

Entre os carros de passeio, o Chevrolet Onyx manteve a liderança de mercado, com 188,6 mil unidades emplacadas. O segundo colocado foi o Hyundai HB20 (105,5 mil), seguido por Ford Ka (94,9 mil) e VW Gol (73,9 mil).

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247