Na crise de Temer, só quatro incorporadoras foram lucrativas

O mercado imobiliário ainda amarga a recessão da economia provocada pelo governo de Michel Temer; no período entre abril e junho, apenas quatro companhias entre 17 de capital aberto apresentaram lucro: MRV Engenharia, EZTec, Tenda e Trisul; a Cyrela, tradicional incorporadora do País, registrou a primeira perda de sua história, ao contabilizar prejuízo de R$ 141 milhões no segundo trimestre

O mercado imobiliário ainda amarga a recessão da economia provocada pelo governo de Michel Temer; no período entre abril e junho, apenas quatro companhias entre 17 de capital aberto apresentaram lucro: MRV Engenharia, EZTec, Tenda e Trisul; a Cyrela, tradicional incorporadora do País, registrou a primeira perda de sua história, ao contabilizar prejuízo de R$ 141 milhões no segundo trimestre
O mercado imobiliário ainda amarga a recessão da economia provocada pelo governo de Michel Temer; no período entre abril e junho, apenas quatro companhias entre 17 de capital aberto apresentaram lucro: MRV Engenharia, EZTec, Tenda e Trisul; a Cyrela, tradicional incorporadora do País, registrou a primeira perda de sua história, ao contabilizar prejuízo de R$ 141 milhões no segundo trimestre (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em um trimestre em que o setor de incorporação apresentou, novamente, queda da receita e piora do resultado líquido, apenas quatro companhias entre 17 de capital aberto apresentaram lucro no período de abril a junho - MRV Engenharia, EZTec, Tenda e Trisul. Até mesmo a Cyrela, incorporadora mais tradicional do país, fechou o trimestre com prejuízo líquido de R$ 141 milhões, primeira perda de sua história.

Há expectativa, no mercado, de aumento das vendas, neste semestre, em função de indicadores macroeconômicos, como juros em queda, aumento da captação da poupança e inflação mais baixa. Recentemente, Santander e Itaú reduziram juros do crédito imobiliário. Taxas menores possibilitam enquadramento de maior número de consumidores e contribuem para incentivar vendas e reduzir distratos. Mas as rescisões caem, principalmente, à medida que as incorporadoras concluem as entregas do último ciclo.

As informações são do jornal Valor Econômico

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email