"Não vamos trabalhar pelo quanto pior, melhor", diz Mercadante

O ex-ministro Aloizio Mercadante defendeu a volta do auxílio emergencial pela taxação de ganhos financeiros em entrevista à TV 247. Assista

Aloizio Mercadante
Aloizio Mercadante (Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro e dirigente petista Aloizio Mercadante defendeu, em entrevista à TV 247, que é preciso taxar grandes fortunas para financiar um programa de combate à crise econômica em meio à pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, a situação econômica internacional está muito difícil, mas no Brasil, isso é agravado.

Para o presidente da Fundação Perseu Abramo, diante disso, “a oposição tem que ter muita responsabilidade”. “Não trabalharemos pelo quanto pior, melhor”, afirmou. “Nós lutamos pelo auxílio emergencial, e vamos continuar defendendo”, afirmou Mercadante, mesmo que isso possa favorecer a popularidade do governo de Jair Bolsonaro.

“Eu particularmente não vou defender dar de novo um cheque em branco para o governo”, disse. Porém, segundo o petista, para arrumar os recursos para financiar o custo do enfrentamento da crise, “precisa combater a evasão fiscal, que é uma fuga de arrecadação muito grande, precisa pôr na pauta uma reforma tributária e precisa taxar os ganhos financeiros, tem gente ganhando muito dinheiro nessa crise”.

“Precisa taxar os ganhos financeiros extraordinários, ter impostos sobre as grandes fortunas, impostos sobre as grandes heranças e sobre juros, lucros e dividendos”, continuou.

Inscreva-se na TV 247, seja membro, e assista à entrevista:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email