Nassif explica a estratégia da China com sua moeda soberana digital

"Agora, enquanto a China é conduzida por Xi Jinping, os Estados Unidos são por Donald Trump e o Brasil por Jair Bolsonaro. Enquanto Trump e Bolsonaro jogam palitinhos, a China mostra por que é a pátria do xadrez", analisa Luís Nassif

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Luís Nassif, no Jornal GGN - A estratégia geopolítica da China, e o lançamento de uma moeda soberana digital vai ser o fato geopolítico do ano.

Um artigo do China Daily detalha bem a estratégia.

Fato 1 – a desconexão entre mercado financeiro e economia real nos EUA

O petróleo está sendo negociado a preços negativos.

O desemprego nos Estados Unidos é nove vezes maior do que nos momentos seguintes ao crash de 2008.

O mau gerenciamento da crise do Covid-19 e um sistema médico que favorece apenas os ricos estão produzindo 2 mil mortes por dia.

Mesmo assim, o mercado de ações norte-americano subiu por 5 semanas, mostrando uma desconexão impressionante entre a realidade econômica e o mercado financeiro. Foi necessário o colapso no preço do petróleo para fazer o mercado americano acordar.

Fato 2 – o colapso do modelo americano.

Os bloqueios são uma hibernação deliberada da atividade econômica que força uma completa reestruturação econômica. Expõem e matam as empresas que dependiam de crédito porque seca o fluxo de caixa. Muitas empresas não ressurgirão dessa hibernação.

Além disso, a concentração de renda, a despreocupação com o emprego provocou um empobrecimento das classes média e pobre dos EUA. Por isso mesmo, é grande o potencial de uma extrema contração do mercado interno.

Fato 3 – a campanha de Trump para desconectar a China.

O início foi a tentativa do Missouri de processar a China, um golpe publicitário porque Estados não podem ser processados. Mas esta abordagem de Trump altera profundamente os fluxos de comércio e investimentos, mas trarão também consequências para países que desejam continuar fazendo negócios com a China.

Confira o artigo completo no Jornal GGN.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247