Nervosismo ainda paira na Ásia e na Europa

Desempenho de bolsas americanas e europeias de ontem puxam mercado asitico para baixo. Incerteza na economia dos Estados Unidos mantm investidores cautelosos

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Apesar de uma primeira sessão semanal otimista, o mercado financeiro asiático entra em declínio acentuado puxado pelo desempenho de ontem das bolsas americanas e europeias. Os operadores não estão inteiramente seguros com o acordo da elevação do teto da dívida fechado nos EUA. Além disso, a publicação de um indicador decepcionante sobre a atividade industrial americana em julho trouxe mais dúvida e nervosismo aos mercados globais. O país de Barack Obama segue ainda sob amaeaça de uma degradação da nota das agências de rating.

Neste ambiente de grande incerteza macroeconômica, os operadores se mostram muito prudentes. No Japão, o Nikkei caiu 1,34%, a 9831pontos. Os investidores estão a espera de uma possível intervenção do Banco do Japão (BoJ) para lutar contra a alta do iene, que atingiu seu maior nível face ao dólar desde o pós-guerra.

A bolsa de Paris está sob pressão nesta terça-feira, ainda confusa sobre como reagir diante do acordo alcançado no domingo à noite nos Estados Unidos. Na abertura, o Cac 40 desceu 0,52% para 3.569,26 pontos, novamente em seu nível mais baixo este ano. Ontem, o índice de referência de Paris fechou em forte queda (-2,27%), apesar de um início otimista da sessão. Às 10h12, horário de Paris, a bolsa de Londres e de Frankfurt operavam a -0,34% e -0,70% respectivamente.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email