Número de ocupados no Brasil pós-golpe é o menor da história, diz IBGE

A taxa oficial de desemprego no Brasil aumentou para 13,3% no trimestre encerrado em junho, e atinge agora 12,8 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada pelo IBGE. A população ocupada é de 83,3 milhões de pessoas, o menor nível da série histórica iniciada em 2012

(Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A taxa oficial de desemprego no Brasil aumentou para 13,3% no trimestre encerrado em junho, ao atingir 12,8 milhões de pessoas. No período foram fechados 8,9 milhões postos de trabalho na comparação com o trimestre anterior. A população ocupada chegou a 83,3 milhões de pessoas, o menor nível da série histórica iniciada em 2012. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nesta quinta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

É maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2017, quando também ficou em 13,3%.

O percentual do desemprego no trimestre encerrado em junho representou alta de 1,1 ponto percentual no comparativo com o trimestre encerrado em março (12,2%) e de 1,3 ponto percentual em relação ao mesmo trimestre de 2019 (12%).

O desemprego não foi maior porque muita gente deixou de procurar emprego ou não tinha como trabalhar por causa do coronavírus.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247