OMC reduz projeção de crescimento do comércio

"Projetamos que o comércio continuará com sua lenta recuperação, mas com o crescimento econômico ainda frágil e contínuas tensões geopolíticas, essa tendência pode facilmente ser afetada", disse o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo; segundo ele, o comércio global de bens crescerá 3,3% neste ano e 4,0% em 2016, menos do que projetado anteriormente

"Projetamos que o comércio continuará com sua lenta recuperação, mas com o crescimento econômico ainda frágil e contínuas tensões geopolíticas, essa tendência pode facilmente ser afetada", disse o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo; segundo ele, o comércio global de bens crescerá 3,3% neste ano e 4,0% em 2016, menos do que projetado anteriormente
"Projetamos que o comércio continuará com sua lenta recuperação, mas com o crescimento econômico ainda frágil e contínuas tensões geopolíticas, essa tendência pode facilmente ser afetada", disse o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo; segundo ele, o comércio global de bens crescerá 3,3% neste ano e 4,0% em 2016, menos do que projetado anteriormente (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

GENEBRA (Reuters) - O comércio global de bens crescerá 3,3 por cento neste ano e 4,0 por cento em 2016, menos do que projetado anteriormente, devido principalmente ao fraco crescimento econômico, informou nesta terça-feira a Organização Mundial do Comércio (OMC).

"Projetamos que o comércio continuará com sua lenta recuperação, mas com o crescimento econômico ainda frágil e contínuas tensões geopolíticas, essa tendência pode facilmente ser afetada", disse o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo.

Os números da OMC são baseados em estimativas de crescimento econômico de organizações que incluem o Fundo Monetário Internacional (FMI), que vai atualizar suas estimativas ainda nesta terça-feira.

O economista-chefe da OMC, Robert Koopman, disse que os novos números do FMI ficarão na mesma faixa e não afetarão a projeção da OMC.

(Reportagem de Tom Miles)

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247