OSX negocia crédito com o BNDES e a CEF

Companhia negocia financiamento de parte da construo do estaleiro projetado pela empresa no porto do Au, no norte do Rio de Janeiro

OSX negocia crédito com o BNDES e a CEF
OSX negocia crédito com o BNDES e a CEF (Foto: SERGIO MORAES/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Braço naval do grupo EBX, do empresário Eike Batista, a companhia OSX negocia com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com a Caixa Econômica Federal (CEF) o financiamento de parte da construção do estaleiro projetado pela empresa no porto do Açu, no norte do Rio de Janeiro. A informação foi dada hoje pelo diretor financeiro da OSX, Roberto Monteiro.

O dirigente disse que o Fundo Nacional de Marinha Mercante aprovou, em junho, a captação de financiamento de R$ 2,7 bilhões para a obra. Agora a OSX busca os financiadores. "A etapa atual é de negociação e assinatura dos contratos com os agentes repassadores", acrescentou Monteiro. Os agentes a que ele se referiu são o BNDES, a CEF, o Banco do Brasil, o Banco da Amazônia e o Banco do Nordeste.

O estaleiro que a OSX constrói em São João da Barra - cidade no norte do Estado do Rio - começará a funcionar no segundo trimestre de 2013, anunciou hoje o presidente da empresa, Luiz Eduardo Carneiro. O primeiro serviço do estaleiro do porto do Açu será a montagem da plataforma OSX-4, que está sendo construída em Cingapura.

A OSX-4 é uma das sete unidades de petróleo encomendadas à OSX pela OGX, petroleira do grupo empresarial controlado por Eike. A OSX-1 já está no porto do Rio. Construídas em Cingapura, a OSX-2 e a OSX-3 devem chegar no primeiro semestre de 2013. A OSX-5 também será montada no estaleiro do porto do Açu. Todas as cinco plataformas são do modelo FPSO. As outras duas da carteira de encomendas da OSX são plataformas do tipo fixas, que serão construídas em estaleiro em Paranaguá, no Paraná.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email