Palocci segura a Petrobras

Entrada do ministro-chefe da Casa Civil no conselho e descoberta de mais leo na camada pr-sal empurram a alta da ao. Nem a dvida bilionria da empresa com a Receita Federal estraga o humor dos investidores

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247_ Se houve uma reação da bolsa brasileira na sexta-feira 29, boa parte vem da ajuda da valorização das ações da Petrobras. Os papéis da estatal (PETR4 e PETR3) embalaram a alta durante todo o pregão e ampliaram ganhos perto do fim dos negócios diante de um noticiário carregado no dia. As ações PN apresentavam ganhos acima de 1% perto do fechamento do pregão.

As informações positivas prevaleceram sobre o humor dos investidores, que continuam reticentes com a inflação no País. Mas o otimismo com a Petrobras começou com o anúncio da descoberta de nova acumulação de óleo no pré-sal da Bacia da Campos, no bloco do campo de Albacora, a 107 km da costa e apenas 3,2 km da plataforma de produção P-31. A estimativa preliminar indica um potencial de 350 milhões de barris de óleo leve.

O mercado parece também ter recebido bem a notícia de Antonio Palocci, ministro-chefe da Casa Civil, ter sido eleito o mais novo membro do conselho de administração da Petrobras. Ele substitui Silas Rondeau, ex-ministro da Minas e Energia, que ocupava a cadeira de representante do acionista controlador desde 2006 e está envolvido em escândalos sob investigação. A assembléia da estatal ainda decidiu manter oito conselheiros, entre eles o ministro da Fazenda Guido Mantega, que preside o conselho, o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli e o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmermann.

A má notícia do dia, mas que não estragou a aposta nos papéis da Petrobras, é que a Receita Federal cobra dívidas tributárias de até R$ 15,5 bilhões da estatal, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. A companhia não teria feito reserva no balanço para cobrir a cobrança no caso de perder a disputa com o fisco que está na justiça. Do montante, R$ 11,35 bilhões seriam referentes à falta de pagamento do Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), R$ 3,3 bilhões da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e R$ 780 milhões referentes ao IPI. A Petrobras alega que foram recolhidos valores abaixo da dívida cobrada, e que a Receita estaria exagerando no valor da cobrança.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email