Paulo Guedes pressiona pela volta da CPMF, com taxa inicial de 0,20%

O ministro da Economia, Paulo Guedes disse que um imposto sobre transações financeiras de 0,20% poderia "ajudar" na desoneração da folha de pagamento. Na prática, Guedes pressiona pela volta da CPMF. Para ilustrar o escopo da nova CPMF, ele citou a compra de uma casa por um traficante em dinheir vivo - transação que, seguindo Guedes, ficaria fora da cobrança - sic.

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes disse que um imposto sobre transações financeiras de 0,20% poderia "ajudar" na desoneração da folha de pagamento. Na prática, Guedes pressiona pela volta da CPMF. Para ilustrar o escopo da nova CPMF, ele citou a compra de uma casa por um traficante em dinheir vivo - transação que, seguindo Guedes, ficaria fora da cobrança - sic.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "Guedes avalia que pelo menos parte da reforma tributária poderá ser aprovada ainda neste ano e começaria a valer em 2020. 'Você troca 20% de encargo trabalhista por um negocinho que não dá nem 2%. É 10% de 2% [0,20%]. Traficante paga, traficante de droga paga, traficante de arma paga. Tem um monte de gente, tem coisa que eu não vou falar, que também paga', ele disse."

A matéria ainda sublinha que "o ministro disse que essa é a parte da reforma tributaria onde há um “'barulhinho' desde a campanha eleitoral. Foi nessa época que o presidente Jair Bolsonaro negou pela primeira vez que iria apoiar a volta de uma CPMF."

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247