Petrobrás planeja vender 15 das 26 térmicas, diz diretora

O entreguismo segue a todo vapor no governo Jair Bolsonaro. A Petrobrás planeja vender 15 de suas 26 térmicas em processo que deve começar a partir de 2020, como parte do programa de desinvestimentos e gestão de ativos, disse a diretora-executiva de Refino e Gás Natural da estatal, Anelise Lara, no Rio

Rio de Janeiro - A diretora de refino e gás natural da Petrobras, Anelise Lara, detalha os resultados operacionais e financeiros do segundo trimestre de 2019, no edifício-sede. (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - A diretora de refino e gás natural da Petrobras, Anelise Lara, detalha os resultados operacionais e financeiros do segundo trimestre de 2019, no edifício-sede. (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O entreguismo segue a todo vapor no governo Jair Bolsonaro. A Petrobrás planeja vender 15 de suas 26 térmicas em processo que deve começar a partir de 2020, como parte do programa de desinvestimentos e gestão de ativos, disse nesta quarta-feira (14) a diretora-executiva de Refino e Gás Natural da estatal, Anelise Lara, no Rio de Janeiro.

Em entrevista a jornalistas, ela disse que a estatal pode participar do leilão A-6 de projetos de geração de energia elétrica, previsto para 17 de outubro, com entrega de energia em 2025.

"Olhamos sim (o A-6), pode ser em parcerias [com outras companhias]", disse a executiva, explicando que a empresa poderá participar também como fornecedora de gás natural para projetos.

A petrolífera estaria avaliando a criação de uma subsidiária de geração de energia com seus ativos termelétricos e a venda da unidade em uma oferta inicial de ações, conforme apontado em relatório de analistas da XP Investimentos, que tiveram conversa com executivos da petroleira na semana passada.



Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247