Petrobras vai aplicar preços internacionais no combustível

Ao divulgar o Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período 2015-2019, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, garantiu que a empresa vai trabalhar com base na paridade internacional de preços de seus combustíveis; no primeiro governo Dilma, a estatal sofreu prejuízos por segurar os reajustes; para isso, a Petrobras teria de aumentar a gasolina em 10% e reduzir o valor cobrado pelo diesel em 13%

Ao divulgar o Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período 2015-2019, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, garantiu que a empresa vai trabalhar com base na paridade internacional de preços de seus combustíveis; no primeiro governo Dilma, a estatal sofreu prejuízos por segurar os reajustes; para isso, a Petrobras teria de aumentar a gasolina em 10% e reduzir o valor cobrado pelo diesel em 13%
Ao divulgar o Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período 2015-2019, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, garantiu que a empresa vai trabalhar com base na paridade internacional de preços de seus combustíveis; no primeiro governo Dilma, a estatal sofreu prejuízos por segurar os reajustes; para isso, a Petrobras teria de aumentar a gasolina em 10% e reduzir o valor cobrado pelo diesel em 13% (Foto: Roberta Namour)

247 – No anuncio do Plano de Negócios e Gestão (PNG) para o período 2015-2019, o presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, garantiu que a empresa vai trabalhar com base na paridade internacional de preços de seus combustíveis. No primeiro governo Dilma, a estatal sofreu prejuízos por segurar os reajustes.

Para isso, a Petrobras teria de aumentar a gasolina em 10% e reduzir o valor cobrado pelo diesel em 13%. No entanto, a estatal diz que não vai revelar a fórmula do ajuste por se tratar de "política estratégica da empresa.

O plano apresentado também determina redução de 37% (US$ 90,3 bilhões) nos investimentos, em relação à previsão anterior para o período de 2014 a 2018. O investimento total do novo PNG será de US$ 130,3 bilhões. Na avaliação do presidente, o novo plano é robusto e está de acordo com a realidade atual do mercado internacional.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247