PIB cresceu 0,49% em novembro, diz aponta prévia do BC

Informações divulgadas pelo Banco Central apontam que o nível de atividade da economia brasileira aumentou 0,49% em novembro, na comparação com outubro; no comparativo com novembro de 2016, o IBC-Br cresceu 2,82% (neste caso, sem ajuste sazonal); apesar da alta, a retomada do crescimento econômico ainda não saiu do papel no atual governo; agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu a nota de crédito da dívida soberana do Brasil, que também amarga 12 milhões de desempregados

Informações divulgadas pelo Banco Central apontam que o nível de atividade da economia brasileira aumentou 0,49% em novembro, na comparação com outubro; no comparativo com novembro de 2016, o IBC-Br cresceu 2,82% (neste caso, sem ajuste sazonal); apesar da alta, a retomada do crescimento econômico ainda não saiu do papel no atual governo; agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu a nota de crédito da dívida soberana do Brasil, que também amarga 12 milhões de desempregados
Informações divulgadas pelo Banco Central apontam que o nível de atividade da economia brasileira aumentou 0,49% em novembro, na comparação com outubro; no comparativo com novembro de 2016, o IBC-Br cresceu 2,82% (neste caso, sem ajuste sazonal); apesar da alta, a retomada do crescimento econômico ainda não saiu do papel no atual governo; agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu a nota de crédito da dívida soberana do Brasil, que também amarga 12 milhões de desempregados (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Informações divulgadas nesta segunda-feira (15) pelo Banco Central apontam que o nível de atividade da economia brasileira aumentou 0,49% em novembro, na comparação com outubro. O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de "compensação" para comparar períodos diferentes).]

O chamado Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br) é considerado uma "prévia" do resultado do PIB, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístiva (IBGE).

No comparativo com novembro de 2016, o IBC-Br cresceu 2,82% (neste caso, sem ajuste sazonal).

Novembro foi o terceiro mês seguido de alta do indicador. O IBC-Br registrou crescimento em sete dos 11 meses de 2017. O percentual referente a dezembro será conhecido apenas em fevereiro de 2018).

Apesar da alta, a retomada do crescimento econômico ainda não saiu do papel no atual governo. Na quinta-feira (11), a agência de classificação de risco Standard & Poor’s reduziu nesta quinta-feira a nota de crédito da dívida soberana do Brasil para BB- ante a nota anterior BB. O País também amarga 12 milhões de desempregados.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247