Pré-sal amplia produção e Brasil extrai 4 milhões de barris de petróleo e gás

Mais de 65% deste volume vem do pré-sal, aquele mesmo que quatro anos atrás não era “economicamente viável” segundo os “especialistas” que lotavam as páginas de O Globo e outros jornais, lembra Fernando Brito, editor do Tijolaço

PLATAFORMA P-52 NA BACIA DE CAMPOS
PLATAFORMA P-52 NA BACIA DE CAMPOS (Foto: GERMANO LUDERS 27/05/2010)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço – A produção de petróleo e gás natural no Brasil quase atingiu 4 milhões de barris diários: 3,1 milhões de barris de óleo e o equivalente a outros 940 mil barris em gás, a cada dia, segundo os dados de novembro da Agência Nacional de Petróleo.

Obra exclusiva do pré-sal. Mais de 65% deste volume vem do pré-sal, aquele mesmo que quatro anos atrás não era “economicamente viável” segundo os “especialistas” que lotavam as páginas de O Globo e outros jornais.

O custo de extração no pré-sal, embora nominalmente alto, é baixíssimo em termos relativos, por conta do alto volume produtivo de cada poço: dois deles, na área de Búzios, jorram 50 mil barris-equivalentes na soma de petróleo e gás.

Poderíamos estar muito à frente, não fosse o corte de investimentos da Petrobras: o número de novos poços perfurados caiu mais de 50% desde 2014. Veja no gráfico abaixo o declínio da prospecção de petróleo, algo ruinoso para o futuro.

Os números mostram o quanto de mal se fez ao Brasil com o desmonte da Petrobras. Mas, também, o quanto nossa empresa resiste e supera os planos de destruição que contra ela se executam.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247